Volte ao SPIN

SPIN01 SPIN02 SPIN03 SPIN04 SPIN05 SPIN06 SPIN07
SPIN08 SPIN09 SPIN10 SPIN11 SPIN12 SPIN13 SPIN14
SPIN15 SPIN16 SPIN17 SPIN18 SPIN19 SPIN20 SPIN21
SPIN22 SPIN23 SPIN24 SPIN25 SPIN26 SPIN27 SPIN28
SPIN29 SPIN30 SPIN31 SPIN32 SPIN33 SPIN34 SPIN35
SPIN36 SPIN37 SPIN38 SPIN39 SPIN40 SPIN41 SPIN42
SPIN43 SPIN44 SPIN45 SPIN46 SPIN47 SPIN48 SPIN49
SPIN50 SPIN51 SPIN52 SPIN53 SPIN54 SPIN55 SPIN56
SPIN57 SPIN58 SPIN59 SPIN60 SPIN61 SPIN62 SPIN63

SPIN64 SPIN65 SPIN66 SPIN67 SPIN68 SPIN69 SPIN70
SPIN71 SPIN72 SPIN73 SPIN74

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Alguém que não seja eu..,,


É o tipo de pessoa que deixa a gente meio com dó de contestar, e até gostaria que ele(Gunter) tivesse razão e que sua candidata fosse de fato muito boa e mais avançada que Dilma mas sinto muito, não é o que dizem os fatos, me desculpe Gunter mas, mais do que educadora, Neca é uma banqueira prá lá de esperta, e grande abraço meu amigo.

Sobre comentários e relações de apreço

Participo de um grupo de 50 membros no WhatsApp, todos familiares, sobrinhos, crianças, primos, irmãos e irmãs. Quando comentamos nas redes sociais geralmente não conhecemos o outro e por isso não nos preocupamos muito com a repercussão, o eco de nossos comentários no outro. Não é o caso quando participamos de grupos onde existem relações afetivas e de apreço entre as pessoas, como ocorre aqui no GGN, o que nos deixa preocupados quanto a repercussão de nossas respostas no outro. É a mesma sensação que sinto por participar do grupo familiar no WhatsApp. 

Uma revelação de sonho

Talvez por isso nesta noite tenha tido a seguinte revelação de sonho: Um jovem sobrinho assim meio diferente comigo por causa de uma resposta que tive que lhe dar num comentário no tal grupo. Acho que peguei pensado, fiquei pensado sobre isso e sonhei, ao fechar os olhos para ver, vi: Ele era tão parecido com meu irmão! Eu deveria ter pegado mais leve. Ele era tão jovem e, como qualquer um de nós, aprendendo!  Estava eu ali diante de um jovem filho de um irmão que quer participar, opinar, aprender. Noto que o que ele posta são coisas que saem na Veja, Globo..,,gente como Constantino...Como lidar com isso?  É cada post que vc vê no grupo no whatsApp, postaram o video do Fidelis, achei aquilo tão danoso à formação dos jovens que participam daquele grupo no WhatsApp, eu deveria ao menos ter informado que a OAB e outros partidos e candidatos e a até a PGR pediram ou devem pedir a impugnação do candidato. Não respondi. Deixei passar batido. 

Ficar em silêncio

Ou será que devo responder tudo por lá. Talvez. Vou tentar. Estou vivendo este dilema, espero solucionar isso logo logo, se isto for possível. Ainda nãos sei como. Uma coisa é certa: Romper com laços afetivos e de amizade que me fazem bem, nem pensar. Por outro lado, se não nos manifestarmos, aquela linha de governo que abominamos poderá sair vitoriosa. Parece que ainda estamos na Idade da Pedra Lascada,..,,..depois vejo pq..,...que história é essa de debate truncado..,...preciso resolver isso, nem que seja entre 4 paredes: Para o médico desta cidade-estado que, enquanto Poder Curador, trará o que penso a esta juventude,...talvez ele me entendam através de um personagem, um heterônimo qualquer,...alguém que não seja eu.,,,..sei lá...nossa, o mês está chegando ao fim, hoje já são 54 de urano

sexta-feira, 29 de março de 2013

spinLeaks

Este email é de jun ou jul 2005, perdi o cabeçalho, não estou localizando o email,..,continuidade do spinLeaks

vfc visão forma conhecimento
Visão: o primeiro momento

Na cidade-estado de Idéia não existe nenhuma contradição=distância entre os sócios da sociedade, que são os animais, os seres humanos e as pessoas jurídicas. Farão a seguinte objeção: “isto é impossível. A contradição faz parte da história humana. É impossível existir esta sociedade tão harmônica.”
Resposta: as leis da integralidade,  que são as leis da perfeição, veja só, as leis da perfeição, não do perfeccionismo=capitalismo=socialismo=bestialismo sempre estiveram presentes. Embora ausentes, invisíveis, nunca foram, e jamais serão, revogadas. E como tais leis estão a pleno vapor, cada um de nós está submetido a elas. Embora não se perceba, não é à toa que Idéia tomou a forma de um armário para dar uma porrada na cara de Roberto Jefferson, spin político=ator=cantor etc. Dirão: ele é um santo! Sim! São Barrabás! Todos vós são santos, inclusive Ben Laden. Interessante notar como todos os nomes destas divindades atuais começam com a letra B. B de Bando. Todos iguais. Um bando. Assim 1=1=1=1=1=1=1=1=1=1=1=1=1=Beto=Bush=Bento=Blair=Berlusconi= Been Laden=Barrabás etc. Como esperar que saibamos quem, dentre estes farsantes, quem é Jesus e Barrabás? Por acaso, Ben Laden não é um deus para muitos? No fundo no fundo ele é tão demoníaco como

Spinleaks


  • ‎MMMV, momento oitavo.eml - 
---


MMMV já havia concluído sua obra várias vezes
Várias edições
Ocorre que não havia caído a ficha
Repetiu a obra tantas vezes
Que foi obrigado a passar pelo que passou
E quando deu-se conta de si
Vi que estava nos braços da morte
Assim, aos poucos
MMMV, imóvel, sem poder gritar
Ouvia  o  incrível som
Era o som  do seu pescoço sendo destroçado
Desarticulado, desconstruído pela morte
Crash crash crash crash crash crash...
Era o som da morte
Bem diferente do som ouvido depois que tudo se passou
O spin cantor Ney Matogrosso cantando Gyta
Uma composição de Raul Seixas
No sonho, o cantor estava MV, Muito Vertical
Tão vertical espiritual que desequilibrou o corpo
Era um som cristalino
Água de cachoeira

spin leaks

Este trecho encontrava-se na pasta rascunho, pode ser que se repita em algum lugar por ai, daqui a pouco tenho que sair para Brasilia, para assistir ao show do spin cantor, caso eu morra na estrada, continuem esta obra


Tudo o que há 

E o que há 

É MMMV

Em todos os momentos

Dormindo

Acordado

Sempre

Morte

Vida

Metade Morte Metade Vida

Somente o Integral Perfeito é 100% Vida

Eterno

Idéia Sem Morte

segunda-feira, 11 de junho de 2012

A História de Idéia. Versículos 71 a 73

.
.
.
.
.
71 Eis aí a cultura apoiada pelo papa=papisa, a cultura da violência
a opressão contra aqueles que não iguais a ele
a morte dos diferentes
não a este tipo de nsinamento nazista=perfeccionista=anti-libertário!!!!
.
.
.
.
.
72 que tal praticarmos o exercício do acolhimento
Meu filho, eu te aceito=acolho=tolero como tu és~
Disse-me minha mãe
Diz-me o sol=pai neste momento singular da História de Idéia
ela: te dou minhas mãos para que realizes o teu projeto
Para cumpras a tua missão
Afinal de contas viemos para isso
cada um de nós cumpre uma missão no mundo
cumpra tua missão
Repita o que já estava escrito
.
.
.
.

domingo, 4 de julho de 2010

29a Bienal de São Paulo

Autor: Art a part of cult(ure)

A 29ª Bienal de São Paulo está ancorada na ideia de que é impossível separar a arte da política. Essa impossibilidade se expressa no fato de que a arte, por meios que lhes são próprios, é capaz de interromper as coordenadas sensoriais com que entendemos e habitamos o mundo, inserindo nele temas e atitudes que ali não cabiam e tornando-o, assim, diferente e mais largo.

A eleição desse princípio organizador do projeto curatorial se justifica por duas principais razões. Em primeiro lugar, por viver-se em um mundo de conflitos diversos, onde paradigmas de sociabilidade são o tempo inteiro questionados, e no qual a arte se afirma como meio privilegiado de apreensão e simultânea reinvenção da realidade. Em segundo lugar, por ter sido tão extenso esse movimento de aproximação entre arte e política nas duas últimas décadas, se faz necessário, novamente, destacar a singularidade da primeira em relação à segunda, por vezes confundidas ao ponto da indistinção.


sexta-feira, 7 de maio de 2010

Experiência de morte no Teatro

No momento me lembrei de uma experiência antiga

Foi quando eu estava na platéia do Teatro Goiânia
No palco a spin cantora Marivone Caetano cantava Caro Nome, de Verdi
Ela usava um belo vestido negro, colocou a mão sobre o joelho e um pouco derreada e olhando para o céu cantou
Neste momento adormeci
Durante o sonho, a cantora atuava no palco
Sento Una Forza Indomita foi outra música cantada
Durante o sono vi-me no mato, em frente a uma casa de palha
Aroxima-se uma ave negra, a inhauma ou inhuma
A ave se aproximou como se fosse aliada
A ave começou a enfiar as penas do seu rabo no meu coração
Dor
Comecei a morrer
Morri
Inexisti
Fui salvo pelas palmas dos presentes
Era o povo aplaudindo Marivone Caetano
Durante a minha morte, quanto mais palmas mais as penas entravam no meu coração
Foi quando vi que o momento da morte é um momento de silêncio
( ) Sem palmas
Devido as penas, o meu coração foi parando.
Esquecimento total.
Inexistência.
Morri.
O eco me matou
Silêncio!
Silêncio na hora da morte
Que morramos sem palmas ou lanças por perto
.